Gramática Espanhol de Verdade

Tire todas suas dúvidas de espanhol com a nossa Gramática Online, 100% gratuita.!

Verbos em Espanhol: Conjugações, modos e explicações com exemplos

CONTEÚDO DESTE ARTIGO

O assunto de agora são os verbos em espanhol. Apesar de ter muitos tempos verbais, o espanhol e o português possuem tempos quase sempre correspondentes entre si, ou seja, o mesmo tempo é usado nos dois idiomas. De qualquer jeito, precisamos entender quais são os modos, os tempos e as conjugações dos verbos para poder flexioná-los melhor.

 

Conjugações verbais em espanhol: quais e quantas são?

 

Todos os verbos se encaixam numa classificação que visa uni-los por alguma característica em comum. Neste caso, no espanhol, nós temos três conjugações distintas, definidas por sua terminação no Infinitivo (são quatro: –AR, –ER, –IR e –ÍR):

 

Primera conjugación (verbos terminados en –AR): cantar, dar, estar, mirar, casar, pisar, andar, tratar, colgar, llegar, usar, nadar etc.

Segunda conjugación (verbos terminados en –ER): beber, hacer, ser, entender, lamer, saber, tender, amanecer, querer, ver, tener, caber etc.

Tercera conjugación (verbos terminados en –IR o –ÍR): seguir, ir, oír, freír, partir, huir, pedir, sentir, venir, decir, embaír, rugir etc.

 

Nem sempre todos os verbos dentro de uma delas terão a exata mesma conjugação. Por isso, existem outros subgrupos dentro das conjugações que se congregam por terem as mesmas irregularidades. Temos:

 

Ditongação (diptongación: E→IE; O→UE; U→UE);

Mudança de vogal (cambios vocálicos: E→I; O→U; I↔Í);

Mudança de consoante (C→QU; C→Z; C→ZC; G→GU; G→J; GU→GÜ;)

Modelos próprios de irregularidade.

 

Modos impessoais em espanhol

 

Já partindo para as flexões verbais, veremos que é bem parecido ao português. Os verbos em espanhol, tal como em português, possuem três modos: Infinitivo, Gerundio, Participio Pasado. Chamam-se modos impersonales pois não se conjugam de acordo com o sujeito da frase (aquele que conjuga um verbo), mas sim porque complementam a ideia de outro verbo na frase. Veja a explicação de cada um deles a seguir:

 

Verbos en Infinitivo:

 

São os verbos quando terminam com –AR, –ER, –IR e –ÍR. Eles estão nesta forma quando procuramos no dicionário. Não expressam nada além da ideia da ação, ou seja, só indicam qual é o significado do verbo. Muitas locuções verbais (ideias que só podem ser transmitidas com dois ou mais verbos juntos) são formadas com este modo: “puedo hacer la tarea”, “voy a estudiar”.

 

Verbos en Gerundio:

 

São os verbos quando terminam com –ANDO, –IENDO e –YENDO. A primeira conjugação aceita somente –ANDO, e a segunda e a terceira conjugações aceitam –IENDO (se não há outra vogal antes: siendo, partiendo) e –YENDO (quando há uma vogal antes: creyendo, oyendo). Esta forma indica uma maior duração da ideia do verbo, ou seja, a ação se prolonga no tempo.

 

Verbos en Participio Pasado:

 

São os verbos quando terminam com –ADO, –IDO e –ÍDO. Junto às conjugações do verbo haber, fazem os tempos compostos no espanhol, que dão uma ideia de uma ação já terminada, explicando-se, portanto, o seu nome “Participio Pasado”. A terminação –ADO é para a primeira conjugação (amado, mirado), e para a segunda e terceira conjugações temos –IDO (se não há vogal antes: sido, partido) e –ÍDO (quando há uma vogal antes: creído, oído). Também pode acontecer a flexão de gênero e número (amado, amada, amados, amadas) para a voz passiva (Ser/Estar + Participio Pasado).

 

Modos verbais em espanhol

 

Também precisamos considerar as conjugações do verbo nos mais diferentes tempos em espanhol. Totalizando 20 formas possíveis (tempos simples e compostos), os verbos conjugados são o grupo mais denso das flexões verbais, justamente porque cada um dos 6 pronomes pode pedir uma conjugação diferente para os 20 tempos. Existem três modos verbais no espanhol: Indicativo, Subjuntivo e Imperativo. Veja como é empregado cada um e quais são os tempos que pertencem a eles:

 

Modo Indicativo:

 

É o modo mais utilizado na língua espanhola e certamente sempre começamos por ele. Este modo indica uma ação que de fato aconteceu, ou seja, uma ação real, podendo ser em qualquer momento. Os tempos pertencentes a este modo verbal são dez:

 

Presente: Yo hago ejercicios a diario.

Pretérito Perfecto Compuesto: Nunca hemos ido a España.

Pretérito Perfecto Simple: Él me dijo la verdad sin miedo.

* Pretérito Anterior: Cuando te hubiste callado, permitiste lo peor.

Pretérito Imperfecto / Copretérito: Vosotras estabais siempre muy contentas.

Pretérito Pluscuamperfecto: Ya se había terminado la fiesta cuando llegamos.

Condicional / Pospretérito Simple: Ustedes nunca harían algo así.

Condicional / Pospretérito Compuesto: Yo habría sido más feliz.

Futuro Imperfecto: Estaremos siempre aquí por ti.

Futuro Perfecto: Cuando llegues, ya lo habremos preparado todo.

 

Modo Subjuntivo:

 

Também temos este modo em português, então não será de difícil entendimento. O Subjuntivo aponta para uma ação hipotética ou que tem chances de acontecer, isto é, que pode ou não ser real. Para utilizarmos este tempo, sempre vamos precisar de alguma conjunção que peça seu uso (tal vez, quizás, ojalá, a lo mejor etc.) ou de alguma conjugação do Indicativo ou Imperativo. São seis tempos que fazem parte deste modo, sendo que dois deles têm duas conjugações possíveis, totalizando oito formas:

 

Presente: Espero que puedas venir a mi fiesta.

Pretérito Perfecto: Quizás él haya hecho lo que es correcto.

Pretérito Imperfecto 1: Si ellos dijeran la verdad, todo podría ser distinto.

Pretérito Imperfecto 2: Si ellos dijesen la verdad, todo podría ser distinto.

Pretérito Pluscuamperfecto 1: Si lo hubiéramos visto, lo habríamos arrestado.

Pretérito Pluscuamperfecto 2: Si lo hubiésemos visto, lo habríamos arrestado.

* Futuro Imperfecto: Te lo contaré todo ni bien me enterare.

* Futuro Perfecto: Háblenme solamente cuando hubieren logrado éxito.

 

Modo Imperativo:

 

Por fim, temos também o modo Imperativo, igualmente presente na língua portuguesa. Este modo fala sobre ordens, pedidos, súplicas, instruções e conselhos para alguém. As maiores diferenças que o Imperativo tem em contraste com os outros dois são a ausência do pronome Yo, uma vez que é plausível que alguém dê uma ordem a si mesmo, e uma forma diferente para a negação (igual à conjugação do Presente de Subjuntivo). São, portanto, somente duas conjugações para este modo:

 

Imperativo Afirmativo: ¡Ven con nosotros para estudiar!

Imperativo Negativo: No permitan que alguien los subestime.

 

OJO: Os tempos marcados com asterisco ( * ) são de uso raro no dia a dia.

 

Por enquanto, é uma visão geral sobre os verbos no espanhol. Há muito mais o que aprender, por isso, não desista! Nós nos vemos numa próxima aula, ¡hasta pronto!

Quer aprender mais? Se liga:

Gostou? Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

LIVRO DIGITAL GRATUITO!

Baixe agora a versão digital do livro “7 erros mais comuns dos brasileiros ao falar espanhol” e evite complicações ao falar espanhol em diversas situações!

PREENCHA E BAIXE:

O Espanhol de Verdade é escola online com marca registrada  pela SDR Digital – CNPJ 27.291.714/0001-52 – Com sede em Belo Horizonte – Minas Gerais. contato@espanholdeverdade.com.br